Foro de São Paulo reúne esquerda latino-americana em …

Brasília – A XVIII edição do Foro de São Paulo começou nesta terça-feira, 3, em Caracas, com o objetivo de analisar a conjuntura política latino-americana e caribenha. Participam 600 representantes de partidos e movimentos de esquerda da região.
De acordo com Valter Pomar, ex-Secretário de Relações Internacionais do PT, o evento que termina na sexta-feira, 6, irá fortalecer a unidade e a diversidade dos partidos de esquerda na América Latina. Pomar é o Secretário Executivo do Foro de São Paulo.
Rodrigo Cabezas, da Executiva Nacional do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), explicou que o tema central desta edição será os desafios da integração regional nos âmbitos político e econômico. A crise paraguaia e a situação do Mercosul também estarão na agenda.
Neste sentido, os participantes pretendem atualizar o Plano de Ação para os 84 partidos e grupos de esquerda que integram o Foro de São Paulo.
Este plano prevê a ratificação da candidatura de Hugo Chávez a mais uma reeleição na Venezuela, o fortalecimento dos vínculos com a esquerda da Europa e os movimentos de resistência nos Estados Unidos, e a ampliação do diálogo com os partidos políticos da África do Sul, Chile, Índia e Rússia.
Ao final do encontro deverá ser aprovada uma Declaração pregando a descolonização de Porto Rico e das Ilhas Malvinas e o fim do embargo econômico a Cuba.
Durante cinco dias, serão realizadas 14 oficinas temáticas que abordarão temas como Defesa, Comunicação, Mudanças Climáticas, Movimentos Sindicais, Migrações e Democratização da Informação.
Além disso, organizações políticas de jovens irão se reunir à margem do Foro. Haverá ainda um encontro entre parlamentares da região na Assembleia Nacional da Venezuela.
Fonte: Inforel